quinta-feira, 23 de abril de 2009

Martha Medeiros - poesia

envelhecer, quem sabe
não seja assim tão desatroso
me interessa perder esta ansiedade
me atrai ser atraente mais tarde
um pouco mais de idade, que importa
envelhecer, quem sabe
não seja assim tão só

(“Poesia Reunida”, Martha Medeiros, pág. 12, L&PM Pocket)

Um comentário:

Capivarawoman disse...

Sil, agora entendi pq vc disse que lembrou de mim quando fez esse post.
Eu acho que é inevitável sentir-se só. Não é coisa da idade, é da maturidade. Mas é de um tipo diferente, pois é quase uma solidão por opção. Quando envelhecemos vivemos a Solidão solidária, que respeita e entende a solidão dos outros. Melhor do que a solidão compartilhada que a gente vive quando insiste em ser casada com a pessoa errada, por exemplo.